quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Bênção ou maldição?

Pense no último sermão que você ouviu: foi um sermão bíblico? Você tomou alguma decisão por causa dele? Agora diga qual foi o último texto bíblico que você leu: você compreendeu o texto? Soube aplicá-lo em sua vida? Diga-me também da última canção espiritual que você cantou: a música expressa a realidade da sua vida? Essa canção fez você pensar ou tomar alguma atitude diferente em sua vida ou você apenas cantou porque gosta de cantar? Todas essas perguntas iniciais são apenas para eu fazer essa pergunta aqui: O sermão, a leitura bíblica e o cântico espiritual foram para você bênção ou maldição?
Sim, o maravilhoso sermão que você ouviu, a belíssima canção espiritual que cantou e a leitura bíblica que leu podem ser maldição em sua vida e essa possibilidade deve nos manter em alerta. Para entender melhor vamos começar com uma fala de Deus através do profeta Isaías.
“Porque, assim como descem a chuva e a neve dos céus e para lá não tornam, sem que primeiro reguem a terra, e a fecundem, e a façam brotar, para dar semente ao semeador e pão ao que come, assim será a palavra que sair da minha boca: não voltará para mim vazia, mas fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a designei” (Isaías 55:10-11).
A palavra de Deus sempre resulta em alguma transformação, ela jamais pode ser simplesmente ignorada. Ela sempre retorna trazendo os resultados que ela produziu naquele que ouviu a mensagem. Isso é fácil de perceber quando o ouvinte crê na mensagem e tem sua vida transformada; mas, se você está se perguntando o que acontece quando alguém rejeita a mensagem ou simplesmente não dá a ela o devido valor, vamos ao texto seguinte:
“Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado. E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura” (Marcos 16:15-16).
Percebes? Uma vez que a mensagem do Evangelho é anunciada, ela “retorna” a Deus trazendo salvação ou condenação; ela jamais retorna vazia. Quem ouve a mensagem e crê recebe a bênção da salvação; quem rejeita ou simplesmente ignora, recebe a condenação. A Palavra de Deus nunca volta vazia.
“Eis que, hoje, eu ponho diante de vós a bênção e a maldição: a bênção, quando cumprirdes os mandamentos do Senhor , vosso Deus, que hoje vos ordeno; a maldição, se não cumprirdes os mandamentos do Senhor , vosso Deus, mas vos desviardes do caminho que hoje vos ordeno, para seguirdes outros deuses que não conhecestes” (Deuteronômio 11:26-28).
Eis que certo dia, à frente da jovem nação de Israel naquele deserto escaldante, Moisés pronunciou as palavras acima. Diante do povo foram colocadas a bênção e a maldição, diante de nós acontece a mesma coisa. A obediência faz a Palavra de Deus tornar-se bênção, a desobediência ou descaso com essa mensagem fá-la tornar-se maldição para nós. Moisés deixa isso bem claro ao despedir-se do povo:
“Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te propus a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência, amando o Senhor, teu Deus, dando ouvidos à sua voz e apegando-te a ele; pois disto depende a tua vida e a tua longevidade…” (Deuteronômio 30:19-20).
O profeta Malaquias praticamente repete as palavras de Moisés acrescentando que se o povo não desse ouvidos à Palavra de Deus, ele amaldiçoaria as bênçãos. Isto é, converteria as próprias bênçãos em maldição.
“Se o não ouvirdes e se não propuserdes no vosso coração dar honra ao meu nome, diz o Senhor dos Exércitos, enviarei sobre vós a maldição e amaldiçoarei as vossas bênçãos; já as tenho amaldiçoado, porque vós não propondes isso no coração” (Malaquias 2:2).
Isso significa que o sermão que você ouviu, ou é bênção ou é maldição em sua vida. O cântico espiritual que cantou é bênção ou maldição; assim também com o texto bíblico que leu. Você é abençoado se, como diz Malaquias, deu honra ao nome de Deus, se colocou aquilo no coração, se observou e aplicou em sua vida a mensagem, se deu à mensagem de Deus a importância devida. Se não fez isso, se cantou apenas com os lábios sem meditar com a mente e o coração, se ouviu o sermão como se estivesse ouvido qualquer conversa sem importância ou se leu a Palavra como se lesse a sessão de piadas do jornal; saiba que você tem acumulado maldições sobre você.
A mensagem que anunciamos também resulta sempre em bênção ou maldição, ela sempre produz vida ou produz morte. Paulo tem consciência disso e nós devemos ter também:
“Porque nós somos para com Deus o bom perfume de Cristo, tanto nos que são salvos como nos que se perdem. Para com estes, cheiro de morte para morte; para com aqueles, aroma de vida para vida. Quem, porém, é suficiente para estas coisas?” (2 Coríntios 2:15-16).
Somos o bom perfume de Cristo, mas para aqueles que rejeitam a Cristo somos como cheiro de morte porque nossa mensagem é a condenação deles. Da mesma forma como a Palavra de Deus é vida para os que creem (João 6.63); ela é morte e condenação para os que a rejeitam ou ignoram (Apocalipse 19.21). Assim também não apenas o Evangelho de Cristo é o poder de Deus para os salvos, mas para os incrédulos essa mensagem é loucura ou tolice (1 Coríntios 1.18); como também o próprio Cristo é Rocha eleita preciosa para aqueles que creem, mas para os descrentes ele é tão somente uma Pedra de tropeço e Rocha de ofensa (1 Pedro 2.6-8).
A Palavra de Deus sempre irá produzir bênção ou maldição, salvação ou condenação, morte ou vida. Esse é um dos motivos da Palavra de Deus ser comparada a uma espada de dois gumes, afiada dos dois lados (Hebreus 4.12; Apocalipse 1.16 e 2.12). Ela corta de um lado ou do outro, se ela não produzir salvação, produzirá condenação; se ela não trouxer bênção, trará maldição; se ela não resultar em vida, resultará em morte. Por isso Deus não admite que pessoas contem seus sonhos como se fossem Palavra de Deus(Jeremias 23.28-29). Diferente dos sonhos, comparados à palha, a Palavra de Deus é como o fogo e como o martelo que esmiúça a pedra. Onde essa Palavra toca, ela transforma, de um jeito ou de outro, para o bem ou para o mal.
Sermões não servem para que gostemos ou não deles, assim como os cânticos espirituais; se são bíblicos eles são Palavra do Senhor. Toda vez que lemos a Bíblia, ouvimos a Palavra do Deus Eterno. É um terrível engano pensar que podemos simplesmente ignorar esse mensagem. Não é a palavra de um moleque que ouvimos, nem mesmo é a palavra do pregador, ouvimos a Palavra do Deus Eterno e assim, como o povo de Israel no deserto, estamos mais uma vez diante da bênção ou maldição.
Então, na próxima vez que você ouvir a Palavra de Deus, seja através da leitura do texto bíblico, de um sermão ou de uma música, pense com cuidado em como irá reagir; pois onde estiver sendo anunciada a Palavra de Deus, uma das duas coisas – benção ou maldição – estará acontecendo.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Entendeu? Alguma discordância ou crítica? Alguma sugestão? Colabore com o autor. Obrigado.

Destaque

Poder Espiritual

Meus livros no Skoob