quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

Deus te ama


Deus te ama. 

Isso é verdade, eu sei que talvez você não tenha certeza disso e até mesmo duvide. Eu te entendo. É absolutamente compreensível que você não acredite nesse amor ou que questione se Deus, o Criador de todas as coisas, continua te amando. Peço que mesmo assim você continue me ouvindo. 

Deus te ama. Ele afirma isso em sua Palavra. Jesus[1] nos diz que “Deus amou o mundo te tal maneira que enviou seu Filho para que você não morresse, mas para que tivesse a vida eterna”. O apóstolo São Paulo[2] afirma que “Deus prova seu amor para conosco fazendo Cristo morrer na cruz por nós enquanto ainda éramos pecadores”; isto é, quando ainda desprezávamos a Deus, Ele nos amou completamente. O apóstolo São João[3] diz que nós só amamos a Deus porque Ele nos amou primeiro. Nosso amor deriva do amor de Deus por nós. 


Mas não é apenas a Bíblia que mostra o amor de Deus por nós. Olhando ao seu redor é possível perceber que o Criador desse mundo nos ama. Respirar o ar fresco depois de uma chuva ou se perder no fascínio de contemplar as estrelas, abraçar uma pessoa querida, pescar ou comer um bom churrasco, a música, carregar um filho sobre os ombros... essas e outras inumeráveis coisas têm o poder de nos fazer experimentar o amor. Essa é outra maneira de saber que quem criou o mundo desse jeito nos ama. 

Mas talvez você esteja balançando a cabeça dizendo para si mesmo que não é tão simples. Talvez você simplesmente por alguma razão não acredite nisso. “Porque então não me sinto amado?” – você diz. Mas a pergunta mais crucial para você talvez seja essa: “Como Deus pode me amar se Ele mesmo permite que aconteçam tantas coisas ruins em minha vida?”

Não pretendo resolver algo tão profundo aqui, mas quero apenas sugerir que as tristezas, as tragédias, a doenças, as lágrimas e mesmo a morte que assaltam nossa existência de vez em quando é a maneira de Deus nos mostrar que estamos em terreno hostil. Sim, ele nos ama, mas não estamos no paraíso, isso aqui não é o céu. Estamos num campo de batalha. Há armadilhas espalhadas pelo caminho, há guerras tanto externas como internas, tanto aparentes como camufladas. Isso não anula ou diminui o amor de Deus por você, mas torna-o mais crucial e importante. Você precisa se dar conta disso. 

Você também precisa se dar conta que fomos nós que criamos esse ambiente hostil. Esse mundo não é o paraíso e a culpa é nossa. Fomos nós que fizemos do paraíso um lugar de angústias, incertezas e lágrimas. Foi o nosso pecado, a minha e a sua rebelião contra Deus que tornou o paraíso nesse lugar de guerras externas e internas. A alegria que você sente ao contemplar um pôr do sol ou uma linda cachoeira, a paz que transborda no abraço de um amigo ou numa oração, são os resquícios desse amor divino por você e por mim. São a prova que alguma coisa restou daquele paraíso, paraíso que só o amor de Deus pode recriar. 

Proponho a você descobrir o amor de Deus como um soldado encontra esperança em meio à batalha. Sim, há guerras e sofrimento mais do que podemos imaginar por ai, mas também há muito amor. Há pessoas descobrindo o amor de Deus e construindo com ele um oásis em meio a uma existência dura. O Deus que te ama te convida a confiar ele, a segui-lo e deixar que o amor dele recrie o paraíso em seu coração, em sua família, em seu mundo. 

Deus te ama, acredite nisso. Ele te ama e esse amor é grande o bastante para cobrir uma multidão[4] de pecados, esse amor é forte o bastante para reconstruí-lo[5] mesmo que você esteja muito quebrado. Esse amor é como água limpa que te purifica[6] de qualquer sujeira, esse amor é como um braço longo que te alcança[7] mesmo no poço mais profundo. 

Deus te ama.




[1] João 3.16
[2] Romanos 5.8
[3] 1 João 4.19
[4] 1 Pedro 4.8
[5] Amós 9.11
[6] Marcos 1.40
[7] Salmo 145.9

Um comentário:

Entendeu? Alguma discordância ou crítica? Alguma sugestão? Colabore com o autor. Obrigado.