sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

Isso não é pra mim


Depois de uma exposição sobre meios de compartilhar o evangelho com vizinhos, amigos e colegas não crentes; uma pessoa me diz sorrindo a frase que é o título desse texto: isso não é pra mim. Essa pessoa não se acha comunicativa, simpática ou “popular” o suficiente para dedicar-se à tarefa de se envolver com seus vizinhos com a intenção de compartilhar o evangelho com eles.
São poucos os crentes que dizem isso, mas são muitos, muitíssimos os que pensam da mesma maneira. “Isso não é pra mim” é o que dizem professores de Escola Bíblica, líderes de jovens, ministros de música, diáconos e até mesmo, acredite se quiser, pastores. “Isso não é pra mim”, meu negócio é ministério de música, meu negócio é trabalhar com as crianças, meu negócio é cuidar do som da igreja, meu negócio é visitar os membros ausentes, meu negócio é esse ou aquele, mas isso de envolver-me com incrédulos para compartilhar Jesus… “isso não é pra mim”.

Imagine

Permita-me sugerir uma hipótese: Você acha que diria que “isso não é pra mim” quando seu vizinho chegasse visivelmente perturbado a sua casa perguntando se você pode conversar com ele um pouco? Seu vizinho só veio até você porque nos dias anteriores você fez um esforço sobre-humano para puxar conversa com ele e até mesmo arranjou desculpas para justificar visitas apenas para que durante a conversa conseguisse falar algo de sua fé, do seu Cristo, do evangelho que você tanto ama. Algumas pessoas fazem isso com naturalidade, mas você não, você precisa se esforçar e às vezes transpira e treme as mãos planejando uma abordagem. Mas agora, finalmente é seu vizinho que vem até você, sedento querendo ouvir um pouco mais. Vocês se sentam e depois de um copo com água e alguns minutos de conversa, você pergunta a ele antes de orar: “Você quer entregar sua vida para Jesus?”, “quer pedir a Cristo que entre em seu coração, perdoe seus pecados e lhe dê a salvação?”“você quer ser um crente em Cristo Jesus como eu sou?”. Você consegue se imaginar dizendo nesse momento a frase título desse texto?
Você acha que diria “isso não é pra mim” ao ver seu vizinho, sua amiga, seu irmão ou aquele colega de trabalho se batizando? Aquela pessoa que você custava acreditar que um dia pudesse se converter a Cristo? Ou será que ao invés disso, ao ver seu vizinho ser batizado, você estaria com lágrimas agradecendo a Deus o privilégio de participar daquele acontecimento que é tão especial a ponto de fazer acontecer uma festa no céu.

Um exercício

Se você não se impressionou ou se comoveu com minha hipótese acima, permita-se ser mais literalmente bíblico. Proponho o seguinte exercício: Após ler cada um dos cinco versos abaixo faça uma das duas seguintes afirmações: 1) Sim, isso é para mim ou, 2) Não, isso não é pra mim. Vamos ao exercício:
Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século (Mateus 28:18-20).
[   ] Isso é pra mim
[   ] Isso não é pra mim
E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura (Marcos 16:15).
[   ] Isso é pra mim
[   ] Isso não é pra mim
Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da terra (Atos 1:8).
[   ] Isso é pra mim
[   ] Isso não é pra mim
De sorte que somos embaixadores em nome de Cristo, como se Deus exortasse por nosso intermédio. Em nome de Cristo, pois, rogamos que vos reconcilieis com Deus(2Coríntios 5:20).
[   ] Isso é pra mim
[   ] Isso não é pra mim
Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz (1Pedro 2:9).
[   ] Isso é pra mim
[   ] Isso não é pra mim
Conseguiu? Talvez você me surpreenda, mas imagino que você não tenha marcado nenhuma das afirmações acima com a segunda opção “isso não é pra mim”. Provavelmente porque você percebeu que só pode dizer isso aqueles que não se incluem entre os discípulos de Cristo, que não se incluem entre aqueles que têm o Espírito Santo e que não fazem parte da “raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus”. Para todos os que são discípulos de Jesus a missão mais importante através da qual eles serão honrados ou censurados no Dia do Juízo, está descrita nos versos acima. Se esse não for seu caso, você está certo, isso não é pra você.

E o meu ministério?

Termino com uma pergunta que algum crente poderia fazer: Mas e o meu ministério? Não posso ter um ministério ou vocação especifica que não seja compartilhar o evangelho? Para que esse texto não se alongue muito vou dar a resposta mais simples e direta a essa pergunta: Qualquer ministério ou vocação só tem valor no reino de Deus se você obedece ao chamado da grande comissão.
Se você não se ocupa em “pregar o evangelho a toda criatura” você está fora da visão e da missão. Você pode ser um fantástico professor de Bíblia, pode ser um dedicadíssimo líder de música ou um crente que ama visitar os necessitados, educar as crianças ou cuidar do som da Igreja; mas, se você não está empenhado em anunciar salvação aos perdidos, você chegará no dia do Juízo Final com sangue nas mãos.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Entendeu? Alguma discordância ou crítica? Alguma sugestão? Colabore com o autor. Obrigado.