sábado, 23 de março de 2019

Corra na frente do seu filho


Enquanto for possível, seja o alvo que seu filho deve atingir e o limite que ele deve superar.
Certamente um dia seu filho será mais forte e mais rápido que você. Imagino que você também deseja pelo dia em que ele será talvez um instrumentista mais hábil, melhor no futebol e fluente em inglês, francês, alemão e mandarim enquanto você, papai babão, mal dominou o verbo to be. Todo bom pai que ver seu filho superando-o; mas que fique claro, você não pode facilitar. Melhor: garanta que não seja fácil para ele.

Pensei nisso ao correr hoje com meu filho Henrique, ele é ainda um garotinho que no próximo mês fará 3 anos de idade. Mas ele já quer fazer tudo o que faço. Como estou sem $empo para ir na academia e nem sempre posso correr na rua, aproveitei que estávamos apenas nós e fui me exercitar em tiros rápidos de 10 metros na entrada de nossa garagem e o Henrique logo começou a correr comigo. No começo corri ao lado dele, mas logo percebi a alegria e o esforço dele para me alcançar quando eu aumentei o ritmo. Nesse momento lembrei de uma frase do Peter Ustinov:
"Os pais são os ossos em que os filhos afiam seus dentes".
Se meu filho será ousado, corajoso, determinado e focado no que quer, será lutando para me superar que ele terá as primeiras e mais importantes lições.

Então, quando correr com seu filho, corra um pouco à frente para que ele saiba que precisa se esforçar mais. Obviamente não se trata de constrangê-lo ou não valorizar o desempenho dele, isso poderia fazê-lo não querer mais correr com você. Celebre suas conquistas e abrace-o, mas estimule-o a buscar a próxima marca, o próximo recorde.

Proteja-o, mas permita que ele aprenda lições dolorosas. Mahátma Gándhí disse que "um pai sábio deixa que os filhos cometam erros". Num mundo em que a mediocridade é a regra e que os homens estão cada vez mais acovardados, garanta que seu filho tenha dentes afiados.

segunda-feira, 11 de março de 2019

Fuja!


Autoridade Pastoral


O que quer dizer autoridade pastoral? Qual a fonte da autoridade espiritual de um pastor? Porque nós devemos obedecê-lo? Há muitas ideias e ensinamentos diferentes sobre a autoridade pastoral:
  1. Alguns pensam que o pastor tem autoridade em virtude do seu chamado por Deus; já que ele tem uma vocação dada por Deus, nós devemos nos submeter a ele. Em outras palavras, a fonte de sua autoridade é a vocação, o chamado que ele recebeu para o ministério pastoral.
  2. Outros pensam que a fonte dessa autoridade está na ordenação desse pastor ao ministério. Ou seja, quando outros pastores oraram impondo as mãos sobre ele, ele recebeu autoridade espiritual.
  3. Alguns pensam que a autoridade espiritual existe em razão da função de pastor. Ou seja, se ele é pastor, ele tem autoridade espiritual. Nesse caso a autoridade espiritual está relacionada ao fato dele ser um pastor.
  4. Tem aqueles que pensam que a autoridade espiritual está relacionada a milagres. Entendem que, se uma pessoa opera algum tipo de milagre (orou em alguém foi curado, por exemplo), então essa pessoa tem autoridade espiritual.
  5. Ainda há aqueles que pensam que um pastor tem autoridade espiritual porque ele tem um dom espiritual ou recebeu algum tipo de revelação especial.
Qual dessas respostas está correta? Nenhuma. Toda autoridade espiritual tem apenas uma fonte legítima e verdadeira: a Bíblia. Isso significa que não importa se um pastor tem ou não determinado dom, não importa se ele foi ou não ordenado e recebeu oração com imposição de mãos, não importa se esse pastor opera ou não milagres; ele só terá autoridade dada por Deus se ele falar o que a Bíblia manda ele falar e fizer o que a Bíblia o manda fazer.

Se você tem dúvidas quanto a isso, leia com atenção os textos de Jeremias 23.31; Mateus 22.29; João 5.39; Atos 8.4, 16.32, 17.11; 1 Coríntios 1.17; 2 Timóteo 4.2; Hebreus 13.7. Agora, com mais atenção, observe esse trecho da carta de Paulo aos gálatas:
“Mas, se alguém, mesmo que sejamos nós ou um anjo do céu, anunciar a vocês um evangelho diferente daquele que temos anunciado, que seja amaldiçoado! Pois já dissemos antes e repetimos: se alguém anunciar um evangelho diferente daquele que vocês aceitaram, que essa pessoa seja amaldiçoada!” (Gálatas 1:8-9).
Você entendeu? Paulo chega a dizer que se ele mesmo, se o próprio apóstolo chamado diretamente por Jesus Cristo e reconhecido por todos os outros apóstolos, se ele mesmo pregasse um evangelho diferente, se ele mesmo pregasse uma mensagem diferente daquela que está na Bíblia; os cristãos na galácia deveriam, em vez de ouví-lo, amaldiçoá-lo, não dando valor nenhum às palavras dele.

Isso quer dizer que a única autoridade pastoral repousa na sua fidelidade à Palavra de Deus. O chamado que Paulo recebeu de Jesus Cristo e todos os milagres que ele operou ao longo do seu ministério de nada valeriam se ele deixasse de ser fiel às Escrituras .

Isso significa também que nenhum pastor ou pregador tem autoridade em si mesmo. A autoridade de um pastor é como a luz da lua; apesar de falarmos “luz da lua”, sabemos que a lua não tem luz própria, que sua luz é na verdade um reflexo da luz do sol. Assim é a autoridade pastoral; por mais que falamos “autoridade do pastor”, devemos saber que ele apenas exerce a autoridade contida na Palavra de Deus. No momento em que ele se desviar da Palavra, toda a autoridade espiritual dele deixa de existir.

Isso vale para todos nós e qualquer cristão. Só temos autoridade espiritual somente, e tão somente se, estivermos firmes na Palavra de Deus. Qualquer coisa que façamos ou falemos que contraria ou excede a Palavra de Deus, tem apenas arrogância humana e não autoridade divina.

É importante ressaltar que não se trata do pastor falar que ele prega a Palavra de Deus; afinal, até os piores hereges afirmam categoricamente que seus ensinamentos estão firmados na Bíblia. Cabe a cada ouvinte e à igreja julgar se realmente aquela mensagem está em harmonia com a Palavra de Deus (é exatamente isso que faziam os crentes de Beréia – Atos 17.11).

"Todo crente alfabetizado que tem acesso a uma Bíblia tem o dever de julgar se a mensagem e ensinamentos do seu pastor estão em harmonia com a Palavra de Deus".
Então, mais vale o latido de um cachorro que todas aquelas revelações, profecias e doutrinas que não encontram respaldo bíblico. Não tenha receio em ignorá-las e condená-las à luz da Palavra de Deus.

Fuja da Imoralidade



No texto de Coríntios 6.12-30 Paulo nos dá alguns motivos para fugir da imoralidade. Vejamos quais:

  1. Embora todas as coisas nos sejam lícitas, nem todas são convenientes e nenhuma delas deve nos dominar (6.12).
  2. Nosso corpo é membro de Cristo (6.15); isto é, assim como minha mão é um membro no meu corpo, meu corpo é um membro no corpo de Cristo. Sendo assim, não posso absolutamente permitir que um membro do corpo de Cristo pratique imoralidade.
  3. Meu corpo é habitação do Espírito Santo (6.19), o que faz de mim um santuário.
  4. Meu corpo não é meu (6.20), afinal fui comprado pelo sangue de Jesus [um cristão jamais dirá:“meu corpo, minhas regras”].
  5. Devo glorificar a Deus em meu corpo (6.20); isto é, tudo o que faço no meu corpo e através do meu corpo deve glorificar a Deus.
  6. Alem dos motivos acima temos o mandamento em si (6.18), que aliás é equivalente ao mandamento contra a idolatria (10.14).

Por que a ênfase em fugir? Pode alguém perguntar. A resposta é:

"Alguns inimigos só podem ser vencidos fugindo-se deles. Manter-se fora do seu alcance é a maior vitória possível”.

sexta-feira, 8 de março de 2019

Em Cristo, toda mulher é bendita!



Quando Adão viu Eva ele fez o primeiro poema que se tem notícia. Desde então as mulheres inspiram nos homens poemas, poesias e canções, desde “olha que coisa mais linda, mais cheia de graça”, passando por “Maria, Maria, Maria é um dom, uma certa magia” até “complicada e perfeitinha”, por que não? 

Sara, a mulher de beleza encantadora mesmo já na terceira idade, nos ensinou como ser gratos a Deus celebrando com sorrisos a cumprimento da promessa de Deus. Se Sara sorriu, foi dançando que a profetisa Miriã, sem se importar com seus sisudos irmãos Moisés e Arão, com um tamborim nas mãos e pés nos chão, adorou o Senhor fazendo todas as outras mulheres dançarem após a passagem pelo mar vermelho. 

quarta-feira, 6 de março de 2019

Você entende o Evangelho? Dez evidências que talvez mostrem que Não!


Não há nenhum outro assunto na Bíblia que devemos estudar tanto quanto o Evangelho. Nenhum outro tema é tão profundo, tão difícil e belo. Nenhuma outra doutrina exigirá tanto de nós se quisermos compreendê-la plenamente. 

Certamente há muito para se aprender sobre a entrada do pecado no mundo, o dilúvio, com a vida de Abraão, a libertação do povo de Israel do Egito, os sacrifícios levíticos, a aliança de Deus com Davi, as profecias messiânicas de Isaías ou as profecias apocalípticas de Daniel. Há uma profundidade extraordinária nas doutrinas do governo de Deus, da segunda vinda de Cristo ou do julgamento final; mas nenhum desses grandes temas da revelação se compara ao maior de todos: o Evangelho do nosso Senhor Jesus Cristo. 

Deus me revelou que...


O pastor que começa dizendo "Deus me revelou que..." deve, obrigatoriamente, concluir a frase com uma informação presente na Bíblia. Se não o fizer, não é merecedor de crédito algum.

Destaque

Porque vocês odeiam Nossa Senhora?