segunda-feira, 11 de março de 2019

Autoridade Pastoral


O que quer dizer autoridade pastoral? Qual a fonte da autoridade espiritual de um pastor? Porque nós devemos obedecê-lo? Há muitas ideias e ensinamentos diferentes sobre a autoridade pastoral:
  1. Alguns pensam que o pastor tem autoridade em virtude do seu chamado por Deus; já que ele tem uma vocação dada por Deus, nós devemos nos submeter a ele. Em outras palavras, a fonte de sua autoridade é a vocação, o chamado que ele recebeu para o ministério pastoral.
  2. Outros pensam que a fonte dessa autoridade está na ordenação desse pastor ao ministério. Ou seja, quando outros pastores oraram impondo as mãos sobre ele, ele recebeu autoridade espiritual.
  3. Alguns pensam que a autoridade espiritual existe em razão da função de pastor. Ou seja, se ele é pastor, ele tem autoridade espiritual. Nesse caso a autoridade espiritual está relacionada ao fato dele ser um pastor.
  4. Tem aqueles que pensam que a autoridade espiritual está relacionada a milagres. Entendem que, se uma pessoa opera algum tipo de milagre (orou em alguém foi curado, por exemplo), então essa pessoa tem autoridade espiritual.
  5. Ainda há aqueles que pensam que um pastor tem autoridade espiritual porque ele tem um dom espiritual ou recebeu algum tipo de revelação especial.
Qual dessas respostas está correta? Nenhuma. Toda autoridade espiritual tem apenas uma fonte legítima e verdadeira: a Bíblia. Isso significa que não importa se um pastor tem ou não determinado dom, não importa se ele foi ou não ordenado e recebeu oração com imposição de mãos, não importa se esse pastor opera ou não milagres; ele só terá autoridade dada por Deus se ele falar o que a Bíblia manda ele falar e fizer o que a Bíblia o manda fazer.

Se você tem dúvidas quanto a isso, leia com atenção os textos de Jeremias 23.31; Mateus 22.29; João 5.39; Atos 8.4, 16.32, 17.11; 1 Coríntios 1.17; 2 Timóteo 4.2; Hebreus 13.7. Agora, com mais atenção, observe esse trecho da carta de Paulo aos gálatas:
“Mas, se alguém, mesmo que sejamos nós ou um anjo do céu, anunciar a vocês um evangelho diferente daquele que temos anunciado, que seja amaldiçoado! Pois já dissemos antes e repetimos: se alguém anunciar um evangelho diferente daquele que vocês aceitaram, que essa pessoa seja amaldiçoada!” (Gálatas 1:8-9).
Você entendeu? Paulo chega a dizer que se ele mesmo, se o próprio apóstolo chamado diretamente por Jesus Cristo e reconhecido por todos os outros apóstolos, se ele mesmo pregasse um evangelho diferente, se ele mesmo pregasse uma mensagem diferente daquela que está na Bíblia; os cristãos na galácia deveriam, em vez de ouví-lo, amaldiçoá-lo, não dando valor nenhum às palavras dele.

Isso quer dizer que a única autoridade pastoral repousa na sua fidelidade à Palavra de Deus. O chamado que Paulo recebeu de Jesus Cristo e todos os milagres que ele operou ao longo do seu ministério de nada valeriam se ele deixasse de ser fiel às Escrituras .

Isso significa também que nenhum pastor ou pregador tem autoridade em si mesmo. A autoridade de um pastor é como a luz da lua; apesar de falarmos “luz da lua”, sabemos que a lua não tem luz própria, que sua luz é na verdade um reflexo da luz do sol. Assim é a autoridade pastoral; por mais que falamos “autoridade do pastor”, devemos saber que ele apenas exerce a autoridade contida na Palavra de Deus. No momento em que ele se desviar da Palavra, toda a autoridade espiritual dele deixa de existir.

Isso vale para todos nós e qualquer cristão. Só temos autoridade espiritual somente, e tão somente se, estivermos firmes na Palavra de Deus. Qualquer coisa que façamos ou falemos que contraria ou excede a Palavra de Deus, tem apenas arrogância humana e não autoridade divina.

É importante ressaltar que não se trata do pastor falar que ele prega a Palavra de Deus; afinal, até os piores hereges afirmam categoricamente que seus ensinamentos estão firmados na Bíblia. Cabe a cada ouvinte e à igreja julgar se realmente aquela mensagem está em harmonia com a Palavra de Deus (é exatamente isso que faziam os crentes de Beréia – Atos 17.11).

"Todo crente alfabetizado que tem acesso a uma Bíblia tem o dever de julgar se a mensagem e ensinamentos do seu pastor estão em harmonia com a Palavra de Deus".
Então, mais vale o latido de um cachorro que todas aquelas revelações, profecias e doutrinas que não encontram respaldo bíblico. Não tenha receio em ignorá-las e condená-las à luz da Palavra de Deus.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Entendeu? Alguma discordância ou crítica? Alguma sugestão? Colabore com o autor. Obrigado.