sábado, 23 de março de 2019

Corra na frente do seu filho


Enquanto for possível, seja o alvo que seu filho deve atingir e o limite que ele deve superar.
Certamente um dia seu filho será mais forte e mais rápido que você. Imagino que você também deseja pelo dia em que ele será talvez um instrumentista mais hábil, melhor no futebol e fluente em inglês, francês, alemão e mandarim enquanto você, papai babão, mal dominou o verbo to be. Todo bom pai que ver seu filho superando-o; mas que fique claro, você não pode facilitar. Melhor: garanta que não seja fácil para ele.

Pensei nisso ao correr hoje com meu filho Henrique, ele é ainda um garotinho que no próximo mês fará 3 anos de idade. Mas ele já quer fazer tudo o que faço. Como estou sem $empo para ir na academia e nem sempre posso correr na rua, aproveitei que estávamos apenas nós e fui me exercitar em tiros rápidos de 10 metros na entrada de nossa garagem e o Henrique logo começou a correr comigo. No começo corri ao lado dele, mas logo percebi a alegria e o esforço dele para me alcançar quando eu aumentei o ritmo. Nesse momento lembrei de uma frase do Peter Ustinov:
"Os pais são os ossos em que os filhos afiam seus dentes".
Se meu filho será ousado, corajoso, determinado e focado no que quer, será lutando para me superar que ele terá as primeiras e mais importantes lições.

Então, quando correr com seu filho, corra um pouco à frente para que ele saiba que precisa se esforçar mais. Obviamente não se trata de constrangê-lo ou não valorizar o desempenho dele, isso poderia fazê-lo não querer mais correr com você. Celebre suas conquistas e abrace-o, mas estimule-o a buscar a próxima marca, o próximo recorde.

Proteja-o, mas permita que ele aprenda lições dolorosas. Mahátma Gándhí disse que "um pai sábio deixa que os filhos cometam erros". Num mundo em que a mediocridade é a regra e que os homens estão cada vez mais acovardados, garanta que seu filho tenha dentes afiados.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Entendeu? Alguma discordância ou crítica? Alguma sugestão? Colabore com o autor. Obrigado.