quinta-feira, 13 de junho de 2019

Deixa queimar: Queimar o quê?


Os mesmos acordes repetidos do começo ao fim em looping, extrapolando o conceito padrão de que canção pop tem que ter entre dois e três minutos. Experimentos. Efeitos. Camadas. O ouvinte fecha o olho e a música engole seus sentidos. “Viaja” junto.

A definição acima (daqui) serve perfeitamente para a canção “Deixa Queimar” de Alessandro Vilas Boas, mas trata-se da definição do que é uma música hipnótica, lisérgica, viajante, psicodélica. Ou seja, a canção de adoração ultimamente mais tocada em shows gospel e templos evangélicos é uma canção hipnótica, lisérgica, viajante, psicodélica. Alguma surpresa? 


Queimar o quê?

Mas vou falar dessa música porque fiz uma pergunta no canal do artista e a coisa rendeu. Minha pergunta foi: “Queimar o quê?”. Todas as respostas foram no sentido de “deixa queimar o coração”. Então, fiz as considerações a seguir começando por dizer que acho que tem uma única frase na música que ilustra corretamente a ideia de deixar queimar. É quando diz:

"Eu não vou parar, gastarei minha vida aos seus pés".

Quando Jesus diz que somos LUZ do mundo, ele estava pensando numa lamparina que só ilumina na
medida em que o pavio é queimado. Nossa vida precisa ser queimada, ser gasta no reino de Deus, só assim iluminamos o mundo e salgamos a terra.

Ao meu ver, "deixa queimar" se refere à nossa vida que deve ser queimada (ser gasta) como o pavio que se deixar queimar para iluminar. Assim como o sal só salga na medida em que se gasta, a lamparina (a lâmpada dos tempos de Jesus) só ilumina na medida em que seu pavio queima, na medida que seu pavio se desfaz no fogo para produzir LUZ.

Então, “deixa queimar”, para ser uma expressão correta biblicamente, deve referir-se não ao nosso coração – o que resume tudo a uma mera ideia romântica desprovida de qualquer substrato bíblico – mas às nossas vidas. Quando a canção diz "Eu não vou parar, gastarei minha vida aos seus pés", isso ilustra perfeitamente o "deixa queimar". É como se o adorador orasse assim:


“Deixo que minha vida seja gasta, seja totalmente consumida no processo de ser luz do mundo e sal da terra".

Afinal, se o pavio não queimar, ele não ilumina; se o sal não se gastar, ele não salga; se o grão de trigo não morrer, ele não produz.

Uma pessoa com quem eu conversava defendeu a ideia de que devemos sentir esse fogo no peito recorrendo-se à experiência dos discípulos no caminho de Emaús e de Jeremias. Isso é realmente muito interessante, vejamos:

Os discípulos de Emaús

Os discípulos de Emaús (Lucas 24). Porque eles sentiram o coração queimar? Porque eles estavam abandonando a mensagem do Evangelho, estavam sem esperança, estavam pulando fora do barco. Aqueles dois (como todos os outros) haviam abandonado a Cristo e agora se sentiam derrotados e desiludidos. Jesus refere-se a eles como "néscios e tardos de coração"

Sabe quais são as pessoas que sentem o coração queimar como aqueles discípulos sentiram? Pessoas que abandonaram a fé e que depois de muito tempo ouvem uma canção ou uma sermão e de repente começam a chorar copiosamente sentindo um fogo dentro do peito. Você certamente verá isso se você for um dia numa cadeia fazer um culto com presidiários. Sempre há aqueles que choram como criança durante uma oração ou ouvindo louvores sentindo o coração queimar com a saudade do tempo em que ia na igreja, cantava louvores, manejava uma Bíblia e servia a Deus. Note que após isso eles "reconciliaram", eles se arrependeram e VOLTARAM para Jerusalém. 

Jeremias

E como Jeremias, não foi algo semelhante a isso? Leia no capítulo 20 o porquê de Jeremias sentir o coração queimar com a Palavra de Deus. Depois de tanto sofrer por causa da palavra de Deus, Jeremias tentou lutar contra sua vocação, tentou ser rebelde ao chamado de Jesus. Deus deu a ele uma palavra para profetizar e ele disse NÃO, se calou. O resultado? Ele disse a Palavra de Deus foi como fogo no coração dele e que o sofrimento por calar-se foi muito maior que o sofrimento de proclamar a profecia. É assim que acontece com que é realmente chamado por Deus? Você irá sofrer no cumprimento da missão, mas não cumprir a missão resulta em sofrimento bem maior. 

A pergunta é: Você gostaria de estar no lugar dos discípulos de Emaús ("desviados") ou do profeta Jeremias nessa situação ("rebeldia")? Eu imagino que não. 

Conclusão

Eu entendo perfeitamente o sentido poético em falar da presença de Deus como um fogo em nosso peito. Mas estou convicto que uma adoração ou um sermão que não são clara e firmemente arraigadas na Palavra de Deus, sempre resultam em malefício. 
  1. A Palavra de Deus não é para ser um fogo em nosso peito, a Palavra é para nossa obediência. Obviamente é mais emocionante falar que "tenho um fogo em meu peito" do que "eu tenho um livro para estudar e obedecer".
  2. O Evangelho não deve ser um fogo em nosso coração, ele deve ser mensagem em nossa boca anunciando a salvação a todos.
  3. O Espírito Santo não vem para arder em nosso peito como fogo, mas sim para nos fazer odiar o pecado, produzir frutos e desenvolver dons espirituais, interceder por nós com gemidos inexprimíveis e encher-nos de tal modo que vivamos de modo a glorificar a Deus. 


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Colabore com o autor. Obrigado.

Destaque

Porque vocês odeiam Nossa Senhora?

Meus livros no Skoob