quinta-feira, 11 de julho de 2019

Oséias 4.8: Pastores que se alimentam da miséria espiritual do povo

pastores que se alimentam da miséria espiritual do povo


"Pastores que exploram a miséria do povo para edificar seus ministérios grandiosos não é uma novidade do nosso tempo".

Anotei a frase acima na margem da minha Bíblia após ler o texto do profeta Oséias. Repare naqueles pastores e pregadores que gostam especialmente de falar sobre "quebra de maldições", "opressão demoníaca", "libertação espiritual" e temas semelhantes. Alguns, como o Pr. Lobo, são especialistas no assunto e rodam o Brasil falando para auditórios repletos. Fizeram da miséria espiritual e do desespero do povo um lucrativo negócio.

Eles têm cursos de libertação (acima de $400), óleos ungidos, métodos e uma lábia habilidosíssima. Obviamente você nunca os verá gritar para a multidão que "creia no Senhor Jesus e será salvo" ou que "o sangue de Jesus desfaz qualquer maldição" ou mesmo que "não há mais condenação para aquele que está em Cristo". Não, eles são mestres em fazer acreditar que você precisa do curso, do seminário, do "Encontro do Deus", do óleo ungido, da oração forte ou de qualquer coisa que eles possam vender para assim, e só assim, você conhecer a verdadeira libertação.

Eles nem coram de vergonha ao falar de "cobertura espiritual", "quebra de maldições", "maldições hereditárias", "espíritos ou demônios familiares". Zombam da cruz de Cristo, ridicularizam o Espírito Santo, desprezam as cartas de Paulo, mas mantêm intocada a pose de servo do Senhor.

Eles também não dirão ao povo que não precisam de outra unção além daquela que vem do Santo (1 João 2.20); senão como poderiam faturar em cima dessa carência? Eles farão as pessoas ficar numa fila para serem ungidas garantindo que essas pobres ovelhas venham sempre comer em sua mão.

Ouça suas mensagens. Raramente (ou nunca) você os verá pregar uma mensagem expositiva, simples e fielmente expondo um capítulo das Escrituras. Suas mensagens são uma colcha de retalhos de textos repletas de ligações inexplicáveis, associações forçadas e extrapolações na interpretação do texto. Imagino que não haveria maior tortura para tais pregadores do que serem obrigados a exporem um capítulo da Escritura, versículo por versículo, com alguém a tocar uma campainha toda vez que ele fizerem uma associação ou interpretação que o texto não comporta.

No entanto, a dura reprimenda que Deus dá aos líderes do povo através do profeta Oséias não serve apenas aos pregadores referidos acima; mas serve também a mim. Todo e qualquer pastor corre o risco de, conscientemente ou não, passar a viver às custas da miséria espiritual do povo. Que Deus tenha misericórdia de nós, pois como nos lembra Paulo, receberemos maior juízo.

terça-feira, 9 de julho de 2019

sexta-feira, 5 de julho de 2019

Melhore! Melhore! Melhore!



Você já conversou com alguém que tinha um conhecimento muito superior ao seu? A ponto de você sentir-se constrangido a estudar mais para que suas conversas com essa pessoa sejam mais interessantes? Afinal, quando isso acontece, eu sei que é a minha ignorância que limita o alcance da conversa.

Destaque

A história do Setembro Amarelo

Meus livros no Skoob