terça-feira, 10 de setembro de 2019

Peça perdão, mas queira mais!



Ao tratar com Caim, Deus retratou o pecado como um inimigo valente e traiçoeiro estrategicamente postado à porta da casa/coração/alma dele, esperando uma única chance para dominá-lo. Deus não apenas alertou Caim para que ele não cedesse ao pecado, mas disse-lhe sem rodeios:

"...eis que o pecado jaz à porta; o seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo" (Gênesis 4.7).

Como sabemos, Caim fracassou. Fracassou como seu pai havia fracassado e como todos os homens e mulheres depois dele, incluindo você e eu, fracassaram. Afinal, nascidos em pecado, corrompidos desde o ventre, escravos por natureza, não havia em nós força ou poder algum dominar esse inimigo.

Finalmente, desceu dos céus e nasceu de Maria alguém mais valente que o nosso implacável inimigo. Chamado de Nazareno, ele venceu nosso inimigo, destruindo seu poder e conosco, aqueles que nele creem, repartiu sua vitória. Agora sim, nosso inimigo, não tão valente, mas ainda traiçoeiro, não é mais uma ameaça assustadora.

A censura de Deus a Caim ainda faz-se ouvir a cada um de nós: "Cumpre a ti dominá-lo". Isso significa que arrepender-se do pecado e pedir perdão é o primeiro estágio de uma jornada espiritual que te fará cada vez mais forte, cada vez mais cheio do Espírito, cada vez mais abundante em graça, cada vez mais obediente à Palavra, cada vez mais parecido com Cristo. Pessoas que estão nessa jornada confessam seus pecados em orações parecidas com essa:

Perdoa-me Senhor. Mas eu lhe peço mais, faça-me forte e cheio do teu Espírito de tal maneira que nunca mais esse pecado ofenda a tua santidade e entristeça o teu Espírito em mim.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Entendeu? Alguma discordância ou crítica? Alguma sugestão? Colabore com o autor. Obrigado.

Destaque

A história do Setembro Amarelo

Meus livros no Skoob